segunda-feira, 21 de março de 2011

Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele.




Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele.
(Mateus 5.23-26.)

O sermão do monte é o marco que iniciou a caminhada de Jesus no seu ministério de ensino aos seus discípulos.
Depois de separar seus doze apóstolos, percorreu toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do Reino de Deus, e curando todas as doenças e enfermidades entre o povo.

Assim a sua fama correu por toda a Síria. De sorte que o seguiam grandes multidões. Jesus, pois vendo as multidões, subiu em um monte e passou a ensiná-las sobre o Reino de Deus.

E abrindo a sua boca, disse-lhes Jesus: "Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último ceitil" Mateus 5.23-26.

O viver de uma família deve ser harmoniosa; assim desejam aqueles que cuidam da sua casa. De que adianta oferecermos nossas ofertas no altar, se nosso Pai sabe que há questões entre nós, entre os seus filhos? De que adianta entregarmos ao Senhor nossos dízimos e ofertas, e omitirmos o que há de mais importante no seu Reino que é a justiça, a fé, o amor e a misericórdia?: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas" Mateus 23.23.

Para Deus, a reconciliação entre irmãos é mais importante que entregar dízimos e ofertas. Caso estejamos entregando nossa oferta no altar, e nosso irmão tiver alguma coisa contra nós, Ele nos fará lembrar que antes de entregar aquela oferta, devemos  amar e nos reconciliar com nosso irmão. Jesus disse que o que ligarmos e desligarmos aqui, também será feito no céu; nesta passagem ele fala de perdão e não de oração como muitos interpretam: "Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu" Mateus 18.18.

Uma coisa que precisamos atentar com atenção, é como Jesus disse: "...e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti...". Jesus não disse para irmos nos reconciliar com nosso irmão se tivermos alguma coisa contra ele, mas se soubermos que ele tem alguma coisa contra nós.

 Quando fazemos o agravo, achamos que estamos certos e julgamos o irmão. Quando sofremos o agravo, achamos que o irmão é que está errado. Caso ele queira se desculpar, então perdoamos, mas não é assim que Jesus nos ensina.
A reconciliação nunca é feita por quem fez o agravo, mas por quem sofreu o agravo. Quando fazemos alguma coisa ao irmão, a justiça seria ir lá e pedir perdão. Caso façamos isto, não temos galardão algum, foi feito somente a justiça. Mas se ao contrário sofrermos o agravo, e buscarmos com o outro a reconciliação, isto é amor; é buscar o proveito do outro e não o seu próprio: "O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta" I Coríntios 13.4-7.

Com Jesus também foi assim. Quem fez o agravo? Fomos nós, os homens. Quem teria que se arrepender e buscar a reconciliação? Nós, os pecadores. Mas quem nos buscou e promoveu a reconciliação? Foi o Pai através de Jesus: "E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação" II Coríntios 5.18-19.
Isto é verdadeiramente a expressão do amor, porque a justiça seria os pecadores buscarem o perdão e a reconciliação com Deus, mas não há quem O busque.

Então Jesus veio cheio de amor, e se entregou por nós. Ele deu a sua vida por nós. Entre os irmãos também deve ser assim:"Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos" I João 3.16.
Se Cristo é a nossa vida, então Ele mesmo irá buscar essa reconciliação com os irmãos. Ele mesmo irá manifestar esse amor que é um fruto do Espírito em nós. Todo aquele que está nele também dará bom fruto, e irá andar como Ele andou; caso contrário é um mentiroso, e ainda está em trevas: "Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas. Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo. Mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos"  I João 2.9-11; é um homicida: "Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros.

 Não como Caim, que era do maligno, e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas. Meus irmãos, não vos maravilheis, se o mundo vos odeia. Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte. Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele" I João 3.11-15.

Os mentirosos e homicidas não tem parte no Reino de Deus; serão lançados na prisão e pagarão até o último ceitil: "Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte" Apocalipse 21-8. "E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas". Mateus 18.34-35.
Ninguém pode dizer que ama a Deus se odeia a seu irmão; isto é uma mentira: "Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão" I João 4.20-21.
 Amém. 



3 comentários:

Silvan disse...

JESUS salienta o fato de que o homem ou a mulher de DEUS deve estar sempre pronto e disposto a perdoar as ofensas ou descasos sofridos da parte dos outros.
"Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas."Mt.6.15.
Lembrem-se, o perdão é um ato de nossa vontade de obedecer ao nosso SENHOR. Não é um sentimento. Quando colocamos a nossa vontade de acordo com a de DEUS, seguimos a direção DELE, que atraves do seu ESPIRITO nos leva a perdoar o condenado. Salmo 103.3,4. JESUS te ama e nós também.navli&onia

Carla disse...

Isso Mesmo Amados Silvan e Sônia, fico feliz com sua preciosa visita e comentários, que Deus Continue te abençoando Sempre.

carlos renato disse...

Deus nos abençoe.